5 de dezembro de 2019 • 20:32

Representatividade nas propagandas de final de ano.




Há algum tempo, grandes marcas mostram em suas campanhas de Natal que a presença é mais importante que os presentes, literalmente. Elas retratam grupos como LGBTQIA+, negros, pessoas com deficiência, gordos, entre outros, em suas propagandas e ações de marketing nessa data.

Até agora, já saíram duas campanhas natalinas que colocam negros como protagonistas, a da Coca-Cola e a do O Boticário, e isso é muito bom. Mas, existem outros grupos que também precisam de visibilidade na mídia e que fogem dos estereótipos normalmente representados, como pessoas com vitiligo, câncer, espinhas, marcas de nascença e tudo que fuja do padrão estético atual.

A representatividade em propagandas de marcas famosas é um grande passo para que as pessoas se enxerguem com importância na sociedade e para que pensamentos preconceituosos comecem a mudar. Afinal, as mídias de massa ainda são uma das grandes precursoras de discursos e formadoras do nosso imaginário coletivo.

Além disso, é importante olhar o uso dessas figuras representativas com mais criticidade e até que ponto elas realmente representam seus grupos, refletindo por que as marcas se apropriam desse discurso e qual o seu papel na transformação da cultura discriminatória tão acentuada em nossa sociedade.

Links das campanhas citadas no artigo:

O Boticário: https://www.youtube.com/watch?v=US91SIFSnKU

Coca-Cola: https://geekpublicitario.com.br/41398/coca-cola-campanha-natal-2019/